domingo, setembro 07, 2008

"O maior tesouro dos portugueses", Manuel Pais

O Manuel Pais também escreveu no DN-Jovem, tal com eu. (Que saudades desse tempo, que saudades da espera semanal pelo DN das terças-feiras para ver se lá vinha o texto que enviara, ou ao menos uma resposta em letras pequeninas, escrita no final do caderno Jovem.) Alguns anos depois de ter deixado de colaborar, por imperativos da idade, e quando o Dn - Jovem já só existia na net, e por isso já não era a mesma coisa, cruzei-me com o Manuel Pais no mundo virtual e trocámos por correio aquilo que tínhamos escrito. "O Maior tesouro dos portuguese" ficou na estante à espera e li-o agora. De início, li com estranheza mas depois fui-me habituando à linguagem e acabei agarrada ao livro, e atenta aos inúmeros jogos de linguagem, quase em cada linha há um. O Manuel Pais brinca com as palavras e com os seus muitos sentidos e sentidos próximos e sentidos duplos. Para ele, a escrita parece um jogo de brincar às palavras e aos sentidos das palavras. A escrita é um jogo. E eu gostei.

1 Comments:

At 25 outubro, 2011 22:33, Blogger Juh said...

Comecei ao bocadinho a ler este livro :)
ao principio é uma confusão, mas agora já estou a começar a gostar.
é como o ditado "primeiro estranha-se, depois entranha-se!"

beijinho *

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home