segunda-feira, outubro 05, 2009

meu querido amor da minha vida

(...) "E assim a trato, pela última vez, de meu querido amor da minha vida, sem desespero, sem violências passionais, sem a voz embargada, sem recriminações, sem pressões de qualquer espécie, exausto e sem quaisquer expectativas, mas com a total, desolada e solitária naturalidade de esse amor ter sido verdade, a verdade mais funda, mais abaladora, mais importante e mais decisiva da minha vida, e procurando fazê-lo também sem saudades lancinantes, o que me está a custar os olhos da cara, não lho escondo.
Aliás, digo "ter sido" só para preparar o terreno, porque estas coisas levam muito, muito tempo, não são fáceis nem rápidas de descartar e implicam uma cirurgia muito dolorosa e aplicada fibra a fibra. Só quero rasurá-la da lembrança, de todas as lembranças do que poderia ter-me sido mais caro e mais essencial." (...)
pag. 173-174

1 Comments:

At 25 abril, 2011 20:36, Blogger Lina said...

fiquei tão curiosa, poderá dizer-me de que livro ser trata, qual o autor.
muito obrigada
sou fã da sua escrita

 

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home