terça-feira, janeiro 03, 2006

Fim de um Litígio

"Vim hoje, pela última vez, visitar o que foi a minha paisagem, estas quatro ruas onde viviam as pessoas da minha condição, que cumprimentava e me cumprimentavam; (...). Nada há nela que recorde a minha vida, é tudo uma fachada estranha, mas, por vezes, a luz apaziguadora da tarde, um gesto do vento entre as suas árvores, um movimento das sombras através das suas montanhas, um persistente som dos pássaros ou uma precipitação de aguaceiro, fazem-me sentir, por instantes, que ainda permaneço. Que ainda hoje é uma manhã lenta de um longo dia que o tempo atravessa vagarosamente, enquanto os meus olhos acariciam as lajes do meu pátio, os ladrilhos e os azulejos que mandei trazer da Andaluzia e as folhas soltas do limoeiro do quintal." (p.283)

Despede-se Dona Inês e limita-se a ser uma morta porque chegou ao fim o lítigio de séculos pelas terras do Vale de Curiepe. Um descendente de Dona Inês, Francisco, e um descendente do escravo liberto Juan del Rosário, José Tomás, chegam a um acordo, que resultará na construção de um empreendimento turístico de luxo.
Dona Inês, estupefacta:

"Agora dizem ao Francisco que deve falar com José Tomás e ao José Tomás que deve falar com o Francisco porque a falar é que a gente se entende. Já vês tu o que é a ignorância. Se eu soubesse que o meu pleito se resolvia numa conversa, tu pensas que eu andaria a saltar de procurador em procurador, raivosa como uma cobra cada vez que me chegavam notícias de que os teus negros se tinham assente nas minhas possessões, e quando me levavam aos demónios quando me diziam que para maior ousadia tinham levantado uma igreja? (...) Conversar, Alejandro, era só isso. Anota, escrivão, porque já estou farta de que a história me tenha vituperado: dona Inês mandou queimar a aldeia a Juan del Rosario porque não sabia negociar." (p.272)


Fechei o livro "Dona Inês contra o Esquecimento", da venezuelana Ana Teresa Torres, contente por o ter lido e já dominada pelo entusiasmo de inicar uma nova leitura, ainda por decidir.

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home